sexta-feira, 23 de setembro de 2016

BÊNÇÃO OU MALDIÇÃO




“Amados, não vos escrevo mandamento novo, senão mandamento antigo, o qual, desde o princípio, tivestes. Esse mandamento antigo é a palavra que ouvistes”.  E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos.    Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a Verdade.    1 João 2:3 - 4

 Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:


http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

Abaixo, há DUAS revelações fantásticas no Evangelho a respeito de sábado e domingos, mas que NÃO FORAM ESCRITAS.

O Senhor Deus nos criou com autonomia de procedimentos, para deixar o homem e a mulher livres para suas próprias escolhas: viver pelo mal e com isso perder a Eternidade em seu Reino das Luzes ou viver pelo bem para merecê-lo, pois a Salvação não é algo fácil de se conseguir, pois até Jesus Cristo precisou morrer em sofrimento de sangue para habilitar os viventes que fizerem por perecer a alcançar o Reino de Deus no Grande Dia de Jesus, na Consumação dos Séculos, no Grande e Final Julgamento.




Por ser um prêmio altamente inefável, gigantesco, indescritível a Salvação na Eternidade, é necessário o vivente passar por um teste na Terra onde fará por merecer o Reino de Deus ou arriscar-se à Segunda Morte.

Por isso, o Senhor Deus nos concedeu a opção de podermos escolher entre a Bênção regiamente premiada ou a  Maldição da terrível Perdição Eterna.


Irmãos (irmãs) escolha permanecer com a Bênção ou fique com a Maldição. Fica tudo por sua conta. Você é livre para escolher. Escolhendo a Bênção, estará a caminho da Salvação na Eternidade, mas escolhendo a Maldição, nem o Senhor terá piedade de você, pois  a Escolha foi sua!


Vede: Proponho-vos hoje  Bênção ou Maldição.  Bênção se obedecerdes aos mandamentos do Senhor. Maldição se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus...   O Senhor, em Deuteronômio,   11.26.
E não adianta negar: os Mandamentos são 10, pois não Está Escrito que um ou dois deles foram deletados no Evangelho, ao contrário, foram inteiramente legitimados pelo Filho de Deus Vivo que sofreu horrores para que puséssemos alcançar o Reino de Deus!


 http://asseteverdadessobreosabado.blogspot.com.br/

“Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir TODOS os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão”.  Deuteronômio 28:15 

Notem bem o importantíssimo detalhe no verso acima: o Senhor Deus Pai não solicita, mas ordena a guarda de TODOS os dez mandamentos, não os noive dos evangélicos ou os oito dos católicos e ortodoxos.

Se você julga que as 10 leis foram dadas exclusivamente aos israelitas, siga um pouco mais, pois vai ter uma surpresa.

O Senhor Deus promete até saúde a todos os que guardam TODOS os seus mandamentos:

“E disse: Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o Senhor que te sara”. Êxodo 15:26

“Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir TODOS os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão”.  Deuteronômio 28:15

E não adianta tentar fugir do Velho Testamento e de seus preceitos, tal com os mais importantes de todos os tempos,o Grandioso Evento do Monte Sinai, pois quem  nomeou como Velho ou Antigo foram os homens, e não Deus, pois tanto o Antigo Testamento quanto o Novo, o Evangelho, constituem ambos na Palavra de Deus Vivia, na chamada ESCRITURAS.  Havemos de nos lembrar, que na implantação do Evangelho, por muitas vezes Jesus Cristo buscou apoio dos profetas de Deus m seus ensinamentos, então Jesus Cristo legitimou todo o Antigo Testamento como Válido e Vivo!


Está Escrito abaixo que a primeira condição para se alcançar as bênçãos de Deus, tanto na Terra quanto no Reino de Deus da Eternidade, segundo ele, é a observação de TODOS os seus Mandamentos do Decálogo. Vejam que é o Senhor que exige TODOS, e não os oito mandamentos do catolicismo e dos ortodoxos, como também os nove dos evangélicos.  Se o Senhor disse TODOS, têm de ser TODOS OS DEZ e ponto final, pois o resto são doutrinas sem fundamentos na Bíblia.

O Senhor convoca o seu povo a guardar TODOS os seus 10 mandamentos e se na época da Promulgação Oficial das 10 Leis no Monte Sinai o povo de Deus consistia somente dos israelitas e, assim, é certo que os mandamentos foram promulgados a eles, contudo, assim como Adão e Eva representaram a Humanidade ao receber castigos que até hoje respingam na Humanidade, em nós outros, assim também os israelitas naquela época representavam a Humanidade. E essa condição está perfeitamente legitimada no Evangelho, pois Está Escrito que somos os legítimos herdeiros de Israel; que hoje somos um só povo de Deus; que a parede que nos separava de Israel FOI DERRUBADA.  Sobretudo, tanto no Antigo Testamento quando no Novo, Está Escrito repetidamente, por quase 10 vezes, que o Senhor Deus não faz distinção de pessoas e que por isso todos somos iguais perante ele.

Então essa história tola de que as leis do Monte Sinai foram dadas exclusivamente aos israelitas é absolutamente tola, sem nexo. Conferir abaixo.

Vamos à Verdade de Deus:

"Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio".  Efésios 2:14.


Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam”. Romanos 10:12

“Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas”. Romanos 2:11

E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas”.   Atos 10:34    

“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”.  Romanos, 2:12.  Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez! 

“E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda: e só estarás em cima, e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir”. Deuteronômio 28:13

Somos os verdadeiros herdeiros dos israelitas, do Decálogo, atestado pelo Espírito Santo:

“E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas  e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”.  Atos dos Apóstolos 3:24 - 25.

“Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão”.  Deuteronômio 28:15

Sendo você um cristão, mesmo que não saiba ou possa negar é um felizardo, pois por essa mensagem vai ter a chance de tomar conhecimento de verdades bíblicas que a maioria pastoral cristã tenta esconder para não ter de colocar suas doutrinas ou tradições em xeque, quando comparadas, de fato e sem farisaísmo, com a Bíblia, com a Palavra de Deus Escrita!  Tais pastores, erram muitíssimo mais por ENSINAR ERRADO do que viver pessoalmente os seus erros.

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”. Hebreus 4:12.

“Toda a Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para redarguir (retrucar), para corrigir, para instruir em justiça para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra”.  II Timóteo 3:16-17

“Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão”.  Deuteronômio 28:15

O Senhor EXIGE a  observação de TODOS os seus mandamentos, e são 10:

"E será que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da Terra”. Deuteronômio 28:1

“E disse: Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o Senhor que te sara”. Êxodo 15:26

Vejam a alta improbabilidade de os Dez Mandamentos terem sido criados apenas para os israelitas:

1)     Das dez tribos israelitas sobrou só uma. Pela ingratidão dos israelitas contra o Senhor Deus, que tantas bênçãos e graças concedeu a eles desde Abraão, quase sempre prevaricaram tremendamente na obediência das Dez Leis, principalmente adulterando, criando estátuas e imagens e desrespeitando o sábado afundaram-se na Maldição e só não foi extinta também a tribo de Judá porque era necessário que subsistisse, pois, segundo as profecias, dela nasceria o Messias, o Redentor da Humanidade.

2)     Jesus não veio para redimir apenas os da tribo de Judá, do qual necessariamente Jesus também fazia parte, mas veio para REDIMIR A HUMANIDADE. E essa grandiosidade vem a favor da Verdade pela qual Deus não faz distinção raças ou de pessoas.

3)     Se as Dez Leis foram feitas apenas para os israelitas, Deus teria falhado, senão vejamos:  Hoje a Criação de Deus conta com mais de sete  bilhões de seres humanos, e os judeus são aproximadamente 15 milhões apenas. Ora, então os judeus de hoje representam apenas 0,02% da humanidade.

4)     Logo depois da Criação do Universo, Deus, o Senhor estabeleceu uma só regra para toda a Humanidade, pois na época NÃO existiam israelitas ou outras raças: ele criou um dia de descanso para o primeiro casal, santificando e abençoando esse dia: o Sétimo Dia.

5)     Jesus, na Nova Mensagem, logo em sua primeira pregação à HUMANIDADE, foi logo destacando, vivamente, que as Dez Leis são imutáveis até a consumação dos séculos, e que dessas Dez Leis nem uma vírgula ou um til se pode retirar ou mudar. Mateus, 5.17 até 28, onde Jesus, além de legitimar o Decálogo por inteiro, ainda aumentou os graus de dificuldade da observação de TRÊS das leis do Monte Sinai.

Eis as profecias de Jesus contra os faltosos e ímpios de Israel:

“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir teus filhos como a galinha ajunta os do seu próprio ninho debaixo das asas, e vós não o quisestes!”.  Eis que a vossa casa vos ficará deserta. E em verdade vos digo que não mais me vereis até que venhais a dizer: Bendito o que vem em nome do Senhor!”.  Jesus, em Lucas, 13.33

“...Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus...”.  Efésios, 2.19.

“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”.  Romanos, 2.12.  Paulo, novamente, ressalta o valor dos Dez Mandamentos.

“É, porventura, Deus somente dos judeus? Não o é também dos gentios? Sim, também dos gentios”. Romanos, 3.29.

A seguir, colocaremos os Dez Mandamentos da Lei de Deus que os fariseus de hoje enganam ao afirmar tolamente que Jesus os pregou na cruz. O evento do Monte Sinai, no qual o Senhor nos entregou, pessoalmente, através de seu maior profeta, Moisés, e que foi precedido de grandioso cerimonial. Para estar na presença do Senhor, Moisés teve de jejuar por 40 dias, e depois por mais 40 para que pudesse receber as segundas tábuas das leis, pois as primeiras Moisés as havia quebrado num momento de ira por ver seu povo afundado em pecado. 

Vamos ver todos os Dez Mandamentos, tal como a tradução de João Ferreira da Silva e igual em todas as Bíblias católicas antigas:

O Senhor falou conosco face a face, no monte, no meio do fogo.

1  Não terás outros deuses diante de mim.

Não farás para ti  imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima, nos céus, nem embaixo, na terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes prestará culto; porque eu, o Senhor, teu Deus, sou o Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus Mandamentos". Deuteronômio, 5.4 a 9.

  3  Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão.

Lembra-te de santificar o dia de sábado. Trabalharás durante seis dias e farás neles todas as tuas obras. O sétimo dia, portanto, é o sábado do Senhor e não farás nele obra alguma. Porque o Senhor santificou e abençoou o dia de sábado. Não farás nele trabalho algum, nem teus filhos, nem teus servos, nem teus animais. Porque, em seis dias, fez o Senhor os Céus e a terra, o mar e tudo o que há neles e, no sétimo dia descansou, por isso, o Senhor abençoou e santificou o dia de sábado.

5  Honrarás teu pai e tua mãe.

6  Não matarás.

 7  Não cometerás adultério.

 8  Não furtarás.

9   Não dirás falso testemunho.

10  Não cobiçaras a casa de teu próximo nem desejarás a sua mulher, nem coisa alguma que lhe pertença.  As Escrituras Sagradas, Êxodo, 20.

O Senhor não nos pediu para obedecermos aos Dez Mandamentos,  não nos concedeu as leis, mas promulgou-as, ou seja, nos ordenou a obedecermos a todas elas, sem distinção alguma para todos os que buscam a Salvação na Eternidade. Os fariseus modernos, numa pálida e esfarrapada desculpa, afirmam que Jesus  retirou a obrigação de obedecermos aos Dez Mandamentos de Deus, pois a partir de Mestre, o cristão viveria pela religião da liberdade e da graça, e que com ele só havia duas leis: a do amor ao Senhor e ao semelhante. Um besteirol sem tamanho, como veremos a seguir.


Como a maioria dos pastores evangélicos ingressaram na armadilha do papado romano de Satanás, quando se colocaram subservientes aos papas de Satanás, cortaram em sua doutrina o mandamento mais amado de Deus, pois foi o único que ele nomeou como Santo e Abençoado. Portanto, a maioria evangélica embarcou na barca furada do tal domingo, que deus nunca mandou santificar, e para piorar, na tentativa de legitimar o tal domingo como o Dia do Senhor, tais pastores tentam, de todas as formas possíveis e impossíveis para tentar justificar o tal domingo que não existe no Evangelho. 



Eu vou colocar, abaixo, as provas bíblicas de que a Igreja Primitiva, a dos apóstolos, como também a Igreja do apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição de Jesus, sem nenhuma sombra de dúvidas
santificado os sábados do Senhor

Eis a ordem de Deus aos que desejam a Salvação na Eternidade:   "Lembra-te de santificar o dia de sábado. 


Quanto ao sábado santo e abençoado, vamos à duas fenomenais revelações que inviabilizam completamente o tal domingo no Evangelho, como sendo o "subistituto" do sábado:



   Existem, no Evangelho, duas grandiosas revelações que não foram escritas, mas são facilmente compreendidas. Confira. Pois todo cristão deve tomar conhecimento.

PRIMEIRA REVELAÇÃO

A respeito de sábados ou domingos, se tivesse havido uma declaração dos apóstolos de Jesus, mais ou menos assim:  “Irmãos, pela grandiosidade da Ressurreição de nosso Mestre, Jesus Cristo, que já subiu ao Reino de Deus Pai, a partir de hoje vamos abolir o sábado e passar a guardar o domingo”, não teria sido algo fácil de aceitação dos cristãos, principalmente dos judeus convertidos ao cristianismo, incluindo também os fariseus da Torah.

Se tivesse havido algo assim no Evangelho, pois em seus 40 dias na Terra depois de sua Ressurreição, JESUS NADA DISSE SOBRE SUA RESSUREIÇÃO INFLUIR NA PALAVRA DE DEUS QUE  ORDENA GUARDAR O SÁBADO, e se mesmo assim os apóstolos tivessem tentado fazer mudar a tradição, muitas vezes secular, da santificação do sábado pela maioria dos cristãos originários de Israel, isso teria obrigatoriamente de ter passado por muitas reuniões para discussão, certamente acaloradas -- e ouso dizer até violentas --, sobre esse tema que seria de dificílima aprovação. 

Portanto, um evento desse porte, de suma importância, pois envolveria a Desobediência proposital  a um dos Mandamentos de Deus cravado nas Rochas Sagradas e, pela mais que secular tradição da guarda do sábado, sacratíssimo para os judeus  cristãos que formavam a maioria da Igreja Primitiva de Jesus, não haveria como não ter um período de TRANSIÇÃO! É ou não é? Vamos a todos os detalhes:



 Então, domingueiros, novamente coloco: essa história de que os apóstolos de Jesus santificavam os sábados está mais furada que uma peneira de arame bem separado.



Elaborei um blog que prova, pela História e pela Bíblia que nem um só dos apóstolos de Jesus guardaram um só sábado no Evangelho, e prova que tanto Jesus, quanto sua Igreja formada pelos cristãos, pelos apóstolos que PELO MENOS ATÉ O ANO 364 NENHUM DELES GUARDARAM UM SÓ DOMINGO. confira:




Jesus, coerente e obediente ao Pai, guardava os sábados concedendo esse exemplo a todos os cristãos do mundo:



“E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”.    Lucas 4:16.   Jesus, nos concedendo o exemplo.

Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:

O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”.  Lucas 23:55 - 56.  A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.

Então, Jesus ensinou sua Igreja a ser também legalista!  Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor:

“No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 

Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!  Mas fariseus de quase todas as denominações, também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo. É possível uma tolice dessas?

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, mas sim um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir, exatamente para nos revelar que o sábado sempre será o Dia do Senhor.

 “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.  
Os defensores do domingo inventado argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois pela sua tradição jamais aceitariam que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás.

Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

“Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado...”.  Atos 1:12.           Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

 “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.   

Jesus Cristo, em Mateus 24:20,  ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível  carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Massada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

Jesus nos mostra que o sábado foi criado para o homem:
“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”.  Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas.  Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo.

 Nesse preceito Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável  por causa do homem.  Portanto, enquanto existir o homem na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos.  E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6 – maior que Abraão (João 8:57) e maior que Jonas (Lucas 11:32) Maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles.

 Está Escrito nas Cartas de Pedro e em Isaías que Deus nunca muda suas promulgações. Como, então, alguns pretendem fazer Deus mudar?

Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

“Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva.Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”.  I Pedro 1:24.

Desde a Fundação do Mundo, quando foi instituído o Santo Sábado para a Humanidade, as gerações se passaram e continuarão a passar, mas a Palavra de Deus, que também inclui o Sétimo Dia e a abominação às imagens e figuras sacras jamais passará.  De outra forma, estaremos a desmentir o Criador e a Jesus! Não há como fugir desse conceito divino sem ingressar na hipocrisia religiosa, por certo desagradando gravemente ao Senhor! 

Pelo preceito abaixo, mais uma vez o Evangelho de Jesus legitima nítida e novamente o Decálogo, e ainda revela que assim como os demais Mandamentos, também o do sábado é necessário para a salvação – pelo menos para aqueles que já tomaram conhecimento do valor integral do Decálogo, como aqui está sendo exposto -, pois a falta dele ou de qualquer outro invalida a Salvação na Eternidade para quem conhece essa Verdade. Não fui eu quem inventou, mas quanto a isso a Palavra de Deus é bem direta, firme, determinante, contundente, conclusiva e esclarecedora.   Ou será que o Senhor Deus “enganou-se” ao revelar-nos esse preceito? Por mais essa determinação evangélica (abaixo) está claro que não adianta guardar nove dos Mandamentos de Deus se omitirmos a guarda de qualquer outro dos Dez, tal como a do sábado, é claro:

“Porque qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu, pois, não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei”. Tiago 2:10-11

No Apocalipse 14:12 Está Escrito que também pela guarda dos Mandamentos de Deus seremos salvos e também essa Verdade, vindo do Espírito Santo, jamais poderá ser ignorada a favor das tradições ou doutrinas. A determinação divina em Tiago, acima, cita alguns Mandamentos do Decálogo, legitimando-o, novamente, no Evangelho.

A respeito da determinação divina acima, já ouvi de pastores a tola conclusão de que se eu guardar os Mandamentos do Decálogo serei obrigado a guardar a todos os demais e, ardilosamente, afirmam que todos  esses são as centenas leis de Levítico. Ora, grande tolice, pois em Tiago 2:10 está claro que o evangelista se refere especificamente às Dez Leis do Decálogo e, para legitimá-lo, ainda mais, o Evangelho completa isso citando algumas delas. Nada a ver com as leis de Levítico, cuja imensa maioria delas consistia num emaranhado de leis provisórias, ordenanças criadas para regular as ações dos israelitas nos difíceis 40 anos de deserto e outras que só vigoraram até João.  Por exemplo: por uma lei antiga que escravizava era proibido aproximar-se de um leproso, mas na religião da Graça e do Amor e dos exemplos, Jesus aproximava-se deles e curava-os. Lucas 5:12. 


Waldecy Antonio Simões  walasi@uol.com.br


Todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam modificados

Meus blogs















http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/





























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43